0 mistério duma guitarra

28-02-2012 16:29

 

 
Era uma vez um pastor, que tinha uma guitarra milagrosa.
Metida no alforge do seu gibão de Iã, sempre o acompanhava, quando ia
vigiar o gado. Enquanto os rebanhos pastavam, a pequena guitarra era o seu
entretenimento, a sua companheira...
Mas esta guitarra era misteriosa...
Um dia o patrão quis ver o seu gado, e partiu para a serra, com o criado, que
era o pastor e dono da guitarra(…)
À vista dos bois e das ovelhas, o pastor começou a tocar a sua guitarra...
As notas suaves e penetrantes, entusiasmaram o patrão que,
espontaneamente, dançava e cantava cheio de alegria...
Neste dançar e cantar, aproximava-se cada vez mais da encosta por onde
subira.
0 pastor assistia calmamente ao espectáculo, e continuava a tocar...
De repente, o patrão, que mais parecia um dançarino, levantando os pés
como um malabarista enroscou-se todo...
Começou a rolar como um arco, pela encosta abaixo, até que deu sobre os
rochedos dum pequeno córrego, onde soltou o último suspiro...
A família, ao saber da morte daquele que para ela era tudo, cheia de aflição e
tristeza, deitou as culpas ao moço.
0 pobre rapaz, dias depois, apresentou-se perante o tribunal, para ser
julgado do suposto crime, que lhe fora atribuído... Chegou ao tribunal. Durante o
interrogatório, respondeu sem receio nem temor como se nada tivesse
acontecido...
A certa altura o Juiz perguntou-lhe:
- Porque motivo tiraste a vida ao teu patrão, atirando-o pela rocha abaixo?
Ele respondeu:
- Se ele caíu, que culpa tenho eu?!...
Os olhos do Juiz, perante tal resposta, ficaram cheios de cólera e pareciam
duas faíscas eléctricas que o queriam devorar.
Porém o pastor não se perturbou, nem se afligiu o mínimo que fosse.
Pediu ao Juiz do Tribunal licença para tocar uma peça de música numa
guitarra que trazia consigo, pois só assim se saberia a verdade...
0 Juiz ficou cheio de espanto com semelhante pedido. Mas, desejoso de ver
aquilo em que ia dar, lá lhe concedeu a licença(…)
0 pastor começou a tocar...
Nisto, assistentes e testemunhas, advogados e Juiz, começaram todos a
dançar involuntaricimente (…)
Cada um à sua maneira, homens e senhoras, rapazes e velhos, magros e
gordos, executavam as mais bizarras cenas, ao som da guitarra misteriosa (…)
Mas, passados os primeiros momentos, o Juiz enrola-se como uma cobra(…)
Esta atitude brusca e inesperada pôs os assistentes, as testemunhas e os
advogados imóveis como pedras.
Não ousavam pronunciar qualquer palavra, tão atemorizados ficaram!
0 susto foi tal que, nenhum se mexeu do lugar aonde estava, para acudir
ao Juiz, prostrado no meio do sala (…)
0 pastor como que a tudo indiferente, continuava a tocar com toda a calma...
De repente, o Juiz pareceu despertar…
Levantou-se dum salto brusco, e, dançando ainda, gritou:
- Para com isso, meu amigo! Não toques mais senão eu enlouqueço. Vejo
que, de facto, a culpa não é tua, mas simplesmente da guitarra!...
- « Aaah! »... - disse o pastor.
E parou de tocar!
- Vai em paz para a tua casa - volveu o Juiz - porque, afinal ninguém te
poderá tirar o mistério da tua guitarra!
E o pastor exclamou:
- Aaah! Aaah! Aaach! Soltando uma risada...
E partiu com a sua guitarra misteriosa e pelo Juiz foi julgado inocente e sem
culpa ...
 
 
Secretaria Regional de Educação da Madeira - Direcção Regional de Educação
(Adaptado de: “Continhos Populares Madeirenses” - P. Alfredo Vieira de Freitas
Secretaria Regional da Educação, Funchal 1996)