complemento oblíquo

 

O que é o complemento oblíquo?
 
1. «Definição»

     O complemento oblíquo (CObl) é uma função sintáctica que integra o predicado. É seleccionado pelo verbo e pode assumir a forma de um grupo adverbial, de um grupo preposicional ou a coordenação de ambos. Além disso, pode também apresentar diferentes valores semânticos.



2. O CObl enquanto grupo preposicional

     Por vezes, pode surgir a dúvida sobre a identificação do CObl, confundindo-o com o complemento indirecto. Atentemos nos dois exemplos seguintes, em que ambas as expressões são iniciadas por uma preposição:
               . O Cruz ofereceu uma prenda à namorada.
               . O advogado foi a Elvas.
               . O Cristiano Ronaldo gosta de automóveis.
     Uma forma de esclarecer esta dúvida passa pela sua substituição pela forma dativa do pronome pessoal - lhe / lhes. Caso a substituição dê origem a frases com sentido, estamos perante um cumplemento indirecto; se a substituição originar frases agramaticais, estamos na presença de um complemento oblíquo:
               . O Cruz ofereceu uma prenda à namorada. → complemento indirecto
               . O Cruz ofereceu-lhe uma prenda. → complemento indirecto

               . O advogado foi a Elvas. → complemento oblíquo
               . * O advogado foi-lhe.

               . Carlos Cruz não concordou com a decisão. → complemento oblíquo
               . * Carlos Cruz não concordou-lhe.

               . Os acusados do processo Casa Pia vão para a prisão? → complemento oblíquo
               . * Os acusados do processo Casa Pia vão-lhe?

     Assim, podemos concluir que, quando a expressão / o grupo preposicional é passível de ser substituído pelo pronome lhe / lhes, desempenha a função sintáctica de complemento indirecto; quando tal substituição gera agramaticalidade, desempenha a função de complemento oblíquo.


     Por outro lado, o CObl é seleccionado pelo verbo, como foi acima afirmado. Tal significa que determinados verbos se combinam com outras unidades. Dito de outra forma,  ir é ir a algum lado; vir é vir de algum lado; discordar é discordar de alguém ou de algo; viver é viver em algum lado; portar-se é  portar-se de um determinado modo, etc.



3. CObl enquanto grupo adverbial

     À semelhança do que sucede com o grupo preposicional, também neste caso não é possível substituir o CObl pelas formas pronominais lhe / lhes:
                    . Os pedófilos portam-se mal.
                    . * Os pedófilos portam-se-lhe.

     Por outro lado, o CObl (enquanto grupo adverbial) surge obrigatoriamente em respostas não redundantes a perguntas como:

               . O que fez + sujeito?
                         » Os arguidos atacaram as testemunhas acolá.
                         - O que fizeram os arguidos?
                         - Os arguidos atacaram as testemunhas acolá. (complemento oblíquo)

               . O que aconteceu com + sujeito?
                         » O Bruno Alves escorregou além.
                         - O que aconteceu com o Bruno Alves?
                         - O Bruno Alves escorregou além. (CObl)

               . O que se passa com + sujeito?
                         » A Paris Hilton levou longe os seus desatinos.
                         - O que se passa com a Paris Hilton?
                         - A Paris Hilton levou longe os seus desatinos. (CObl)



4. O CObl enquanto coordenação de um grupo preposicional e de um grupo adverbial

               . Tu estudas aqui (CObl) ou em Paris (CObl) ?



5. Conclusões

          a) O complemento oblíquo (CObl) é seleccionado pelo verbo e faz parte do predicado. A sua supressão pode gerar incorrecções (agramaticalidade) ou alterações de sentido.

          b) O CObl pode ser constituído por um grupo preposicional, um grupo adverbial ou pela coordenação de ambos.

          c) O CObl não pode ser substituído pelas formas pronominais lhe / lhes.



6. Exemplos

     . O Rui portou-se mal. (ideia de modo)
     . Os juízes condenaram os arguidos à prisão. (ideia de lugar)
     . Vou para Mangualde. (ideia de lugar)
     . Desloquei-me até ao hospital. (ideia de lugar)
     . O meu julgamento foi adiado até Janeiro.
     . Todos concordaram em participar.
     . Mergulhou numa melancolia intransponível.
     . Insisti no tema.
     . Duvido dos arguidos.
     . Os alunos do 11.º A transitaram de ano.
     . Confio em ti, minha esposa.
     . O Dr. Barroso participou num congresso.
     . Não mexas no pudim.
     . Coloca o livro .
     . Eu antipatizo / simpatizo com a Josefina.
     . O frade andava ao peditório.
     . O Outono dá umas pinceladas douradas nas uvas brancas.
     . O Antunes gosta de filmes americanos.
     . A Célia cuida da avó.


Fontes:

     » Dicionário Terminológico;
     » Ciberdúvidas da Língua Portuguesa;
     » AMORIM, Clara e SOUSA, Catarina, Gramática da Língua Portuguesa, Areal Editores;
     » OLIVEIRA, Luísa e SARDINHA, Leonor, Gramática Formativa, Didáctica Editora;
     » AZEREDO, Olga et alii, Gramática Prática de Português, Lisboa Editora;
     » PINTO, José M. de Castro et alii, Gramática do Português Moderno, Plátano Editora