Regras de translineação

Quando escrevemos, muitas vezes acontece termos de dividir uma palavra utilizando o hífen (-) e passando parte dela para a linha seguinte. Esta situação designa-se por "translineação".

Regra geral, a divisão da palavra faz-se por silabação, ou seja, separando as sílabas: li-te-ra-tu-ra. Porém, existem alguns casos especiais.

Em primeiro lugar, não se deve separar os dígrafos ch, lh, qu, gu, isto é, duas letras que representam um único som: mo-cho; mo-lho; le-nha; que-ro; Gui-lher-me. Só se podem separar os dígrafos constituídos por duas letras iguais (ss, rr): sor-rir; mis-sa.

Além disso, não se deve separar duas consoantes seguidas que iniciam sílaba: re-gra; ma-dru-grar; lem-bran-ça; re-pli-car.

Por outro lado, deve separar-se as consoantes seguidas que pertencem a sílabas diferentes: fac-to; ob-ter, pac-to.

Também não devem ser separadas as vogais que formam ditongos: oi-ro; lei-tão; lei-te. Mas as vogais dos hiatos devem ser separadas: co-e-lho; Ma-nu-el; sa-ú-de.

Quando a palavra já tem um hífen e este coincide com o fim da linha, repete-se o hífen no princípio da linha seguinte: deu-/-te; arco-da-/-velha; cor-de-/-rosa.

Por último, deve evitar-se deixar uma vogal sozinha no fim ou no princípio de uma linha, mesmo que essa vogal constitua uma sílaba: leia; anel; ovos.

 

 

* Professora de Português e formadora do acordo ortográfico.

 

jn.acordoortografico@gmail.com