A Raposa e o Lobo

22-07-2013 19:29

Era uma vez uma raposa muito esperta. Um dia, passeando, viu uma capoeira cheia de galinhas.

Entrou lá dentro e comeu uma. Póh, poh poh poh, phóo… No dia seguinte a raposa construiu junto à capoeira uma casa. E dentro da casa escavou um túnel que ia dar à capoeira. E todas as noites comia uma galinha. Póh, poh poh poh, phóoo… Um belo dia o dono das galinhas trouxe um galo, grande e bonito, e meteu-o também na capoeira. Mas como o galo não gostava dos poleiros, voou para cima de uma árvore, e assim escapou à raposa, que por mais que tentasse não conseguia apanhá-lo. Có, có-có-ri-có, có…

Desesperada, a raposa começou a pensar como é que podia apanhar o galo, que era bastante maior que as galinhas e mais tenrinho e saboroso. Inventou então uma história, que lhe teria sido contada pelo dono da quinta, e que era assim: «a partir de agora todos os animais tinham que ser amigos entre si, e nenhum podia comer o outro.» Póh, poh poh poh, phóoo…

E a raposa começou a cantar: -Hoje é um dia muito feliz! Hoje é um dia muito feliz! Hoje é um dia muito feliz! O galo pensou que a raposa estava maluca, e perguntou-lhe: -Porque estás tão alegre? E a raposa: -Porque a partir de hoje todos os animais têm que ser amigos uns dos outros. Desce, meu amigo galo, que eu quero dar-te um abraço e um beijinho.

O galo, desconfiando do que ela lhe dizia e para a pôr à prova, gritou-lhe: -Ainda bem que assim é, pois vem aí a matilha dos ferozes cães da quinta! A raposa, cheia de medo e já correndo, disse-lhe:

-Adeus, já me estava mesmo a ir embora. E metendo o rabo entre as pernas fugiu a bom fugir, nunca mais sendo vista por aquelas paragens. E o galo pensou: -Tão esperta, tão esperta, mas não me enganou! E a paz voltou a reinar naquela capoeira. Póh, poh poh poh, phóoo… Có, có-có-ri-có, có…